Balança: como torná-la uma aliada e não inimiga para o emagrecimento?
Balança: como torná-la uma aliada e não inimiga para o emagrecimento?

A balança é um dos objetos mais temidos pela população hoje em dia, não é mesmo? Seja entre homens, seja entre mulheres, todos aqueles que entram em processo de emagrecimento passam a odiá-la. Até crianças hoje em dia se encontram nessa situação: rodeadas por adultos que temem o objeto, passam a temê-lo também.

Mas… por que atribuímos uma carga tão negativa a um objeto?

Somos historicamente condicionados pelo desejo em emagrecer. Perder peso parece estar entre o top 5 de metas pessoais de uma boa parcela da população, a julgar pelos comentários que sempre se ouve em qualquer roda de conversa.

A balança é vista há muito tempo como a vilã, a inimiga. Mas e se a realidade fosse diferente?

Entenda como funciona a distribuição do peso

O corpo não é composto apenas por gordura. Temos ossos, músculos e líquidos que fazem parte da composição corporal – e a soma desses 3 representa uma porcentagem superior à da gordura. Isso significa que o número mostrado na balança não representa a gordura do seu corpo, e sim toda a composição do mesmo.

A balança não é o melhor indicativo de perda de peso

Quando se fala em perda de peso, o que realmente se deseja é perder gordura. Porém, há quem siga dietas restritivas, custosas ou combine a má alimentação com o excesso de exercícios mal orientados e acabe perdendo massa magra. Na balança, essa diferença aparece, mas será que é esse tipo de componente corporal que deseja-se perder?

Você já deve ter observado que ao começar a prática de um exercício físico, principalmente musculação combinada com exercícios aeróbicos, o peso cai rapidamente e depois existe um certo período de tempo em que a balança não aponta mais os resultados que gostaríamos de ver.

Isso não quer dizer que você não esteja perdendo gordura, muito pelo contrário. Como regra geral, é possível que você esteja fortalecendo sua musculatura e perdendo gordura pelos exercícios.

Já aconteceu de você se pesar, o peso não estar com grandes alterações, mas você sente que suas roupas estão mais folgadas, ou seu rosto menos inchado? Então, os músculos ocupam menos espaço físico do que a gordura, mesmo tendo o mesmo peso. Por isso é comum alguém aparentemente mais magro, mas que pratica esportes, ter o mesmo peso de alguém aparentemente com mais peso, mas sedentário.

Entenda os benefícios da balança

A balança pode, sim, ser uma grande aliada do processo de emagrecimento. Geralmente em academias e outros centros de prática de esportes, há algum instrutor habilitado para fazer a avaliação antropométrica. O seu próprio personal pode ser o responsável pela avaliação, ou a sua nutricionista, caso exista acompanhamento.

Esses profissionais conhecem as oscilações de peso e sabem o que esperar a partir do treino que você está executando. Utilizando a experiência e conhecimento dos profissionais que lhe acompanham, não é necessário ter medo da balança.

Muitas vezes pode acontecer de, dependendo da rotina de exercícios que você está mantendo, o peso acabar subindo na balança. Para quem tem o costume de se pesar em casa ou na farmácia mais próxima, observar o número alterado pode ser um gatilho para a desmotivação e tristeza. Porém, até o aumento de peso pode ser consequência do ganho de massa muscular, não necessariamente de gordura. Por isso, a avaliação dos resultados antropométricos deve ser feita por algum profissional capacitado que conheça a sua realidade e possa interpretar os dados de forma a tranquilizá-lo.

Se pesar com consciência e respeitando o tempo do seu corpo pode trazer benefícios, pois torna o processo de emagrecimento mais palpável e faz com que o autoconhecimento a respeito do próprio corpo seja maior. É interessante estabelecer metas, e é saudável acompanhar a evolução dessas metas na balança, acompanhado de um bom profissional para auxiliar na interpretação.

Saiba outras medidas de avaliação corporal

Assim como a balança é um bom indicativo do processo de emagrecimento quando utilizada com a regularidade e acompanhamento corretos, outras medidas antropométricas também trazem dados interessantes sobre a situação do seu corpo.

As dobras cutâneas, realizadas por um aparelho chamado plicômetro ou adipômetro, são uma boa medida de adiposidade no corpo. Muitos instrutores de academia ou personal trainers podem fazer a avaliação de dobras cutâneas e, a partir de fórmulas específicas para cada peso, idade e sexo, calcular o percentual de gordura corporal.

Outro procedimento que pode ser utilizado é a bioimpedância, que é realizada por um aparelho que, a partir de uma corrente elétrica baixa, determina o percentual de gordura e massa magra do indivíduo em avaliação. O aparelho também mostra a taxa metabólica basal, o IMC, o percentual de água no corpo, entre outras informações.

Essas duas técnicas, aliadas à balança, informam dados mais seguros a respeito da situação específica da gordura corporal.

Alterações de peso (menstruação, oscilação de líquido)

É importante entender que o corpo passa por alterações diárias. A oscilação de ingestão e retenção de líquidos pode influenciar no número mostrado na balança. Períodos menstruais para mulheres também alteram o resultado, além do funcionamento intestinal para ambos os sexos.

Em função dessas oscilações naturais, além da ingestão de alimentos ao longo do dia, é normal que o peso flutue até 1,5kg no mesmo dia.

Portanto, não se desespere! O número mostrado na balança é apenas isso: um número!

 

Agora você já sabe as variáveis que podem influenciar no número que a balança mostra, e agora sabe também que a condição momentânea do corpo vai muito além dos números. São necessárias outras avaliações para poder identificar com maior precisão o estado de saúde de indivíduo, mas não se preocupe: a balança não deve ser temida, odiada ou ignorada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscrito