Emagrecimento sustentável: como atingir?
Emagrecimento sustentável: como atingir?

Encontrar o método ideal para um emagrecimento sustentável é uma das grandes dificuldades enfrentadas por quem tem esse objetivo atualmente. Em meio a tanta informação recebida, a tantos “exemplos” acompanhados, a tantas dicas apresentadas, a ansiedade cresce tanto quanto as dúvidas.

Hoje em dia se vê diversas informações e filosofias pregadas na internet sobre emagrecimento, mas sabe-se que poucas delas são realistas ou baseadas em ciência, em evidência. O ideal a se procurar é uma forma de emagrecimento sustentável, duradouro e eficaz: e acredite, não é com dietas da moda que se alcança essa condição.

No post de hoje falaremos sobre alguns pontos necessários para atingir o emagrecimento sustentável. Confira:

1. Repense seu estilo de vida

Não existe emagrecimento que dure se o seu mindset não mudar. Pense, se até agora você mantém o mesmo estilo de vida de sempre e segue ganhando peso após perdê-lo, é porque algo está errado, certo?

Isso significa que é necessário que exista motivação, explicação coerente e mudança de pensamento para os hábitos que você mantém.

O emagrecimento saudável precisa ser consequência de um estilo de vida adequado. Se você entrar para a academia pensando apenas nos 5kg que deseja perder, quando chegar nesse objetivo, vai parar de praticar exercícios físicos e voltará gradualmente à sua condição inicial, gerando o conhecido efeito sanfona.

A prática de exercícios e a adequação da sua alimentação pode sim ter relação com os seus objetivos, mas eles não podem ser a causa exclusiva. Se exercitar não é bom só porque você deseja emagrecer, é bom porque garante qualidade de vida, previne contra uma série de doenças e promove longevidade. A alimentação equilibrada não é bom só porque emagrece, o emagrecimento é uma consequência da combinação das escolhas melhores que você decide colocar no seu prato e a forma que seu corpo processa os nutrientes que está recebendo.

O emagrecimento é consequência do que você faz. Se você pratica exercícios por amar o seu corpo e querer o melhor pra ele, o hábito torna-se mais significativo e fixo na sua rotina. Se você se alimenta bem porque sente prazer em se cuidar e nutrir seu corpo, as escolhas boas tornam-se cada vez mais fáceis de serem feitas.

 

2. Emagrecimento = déficit calórico

A regra do emagrecimento é clara = déficit calórico. Para emagrecer, é necessário que se consuma menos calorias do que se gasta, para que o corpo passe a utilizar energia endógena, isto é, gerar energia a partir da quebra do tecido adiposo.

“Ah, mas eu li que a low carb emagrece!”

Sim, diversas dietas usam outra apresentação para justificar o emagrecimento. No caso da low carb, o emagrecimento temporário ocorre porque os carboidratos são a base da nossa alimentação, representando de 50% a 60% da nossa ingestão diária. Ou seja, retirando essa porcentagem, se perde uma grande quantidade de calorias advindas desse grupo alimentar.

O déficit calórico também tem relação com o estilo de vida saudável que comentamos no tópico anterior. Sem uma alimentação equilibrada, as calorias facilmente extrapolam as necessidades diárias do corpo sem estar obrigatoriamente associada com a saciedade e nutrição.

3. Respeite o tempo do seu corpo

A sua colega pode estar se alimentando tão bem quanto você e treinando com tanta frequência e qualidade quanto você, mas isso não significa que vocês duas terão os mesmos resultados. Isso acontece porque cada metabolismo responde de forma diferente aos estímulos e às condições em que estão inseridos. A nutrição e o funcionamento do corpo não é uma ciência exata, ou seja, há divergências de processos biológicos que refletem no resultado final de cada organismo.

4. Controle sua ansiedade

Sim, sabemos que propostas de emagrecimento aparentemente milagrosas são muito tentadoras. Mas será que a prática é tão simples assim? Quando começamos a emagrecer, ficamos apressados e queremos esse resultado “pra ontem”, mas cada corpo tem seu próprio tempo.

5. Entenda o processo de emagrecimento

Você vai emagrecer bastante inicialmente e em seguida passará por um período de estagnação. Esse não é um problema com a sua disciplina ou com o seu foco. Se o processo de emagrecimento fosse uma pessoa, ele diria: o problema não é você, sou eu.

Faz parte do processo ter períodos de estagnação ao emagrecer. Nesses períodos, o foco da sua rotina deve ser mantido, visando a manutenção do peso. É comum pensar que o emagrecimento não está sendo efetivo ao entrar em estágio de estagnação, mas não se engane: faz parte do processo.

Além disso, é normal que a perda seja gradativa. Você já ouviu falar que quanto mais peso se tem, costuma ser mais fácil perder?

Essa premissa não está errada. Quando se tem muito mais peso do que o corpo gostaria de manter (como na obesidade), o organismo trabalha no limite para conseguir manter esse corpo funcionando de forma eficaz. Quando ocorre a perda de peso inicial, o organismo passa a lidar melhor com o novo peso.

 

6. O emagrecimento sustentável é gradativo

Sei que acabamos de falar um pouco sobre isso no tópico anterior, mas é muito importante trabalhar esse ponto.

Emagrecimento sustentável não é aquele em que você emagrece 3kg em uma semana. Pense comigo: sustentável é aquilo que é possível sustentar. O estilo de vida que levou você a perder 3kg em uma semana pode não ser um estilo de vida que possa ser facilmente mantido. A perda de peso é lenta, quando feita de forma saudável e coerente com a realidade que você vive – e está tudo bem!

O processo de emagrecimento inclui inúmeros aprendizados, mudanças de hábitos e estratégias, e são essas 3 coisas que farão com que você se mantenha saudável e com o peso desejado eliminado.

7. Ação do hormônio leptina

É necessário entender os mecanismos fisiológicos que atuam na perda de peso. A leptina é um hormônio produzido no organismo que tem como função a regulação do apetite e do gasto energético. Ela é aliada no processo de emagrecimento pois passa a sensação de saciedade para o sistema nervoso, sendo um mecanismo natural de regulação da relação fome e saciedade.

“Ah, então quer dizer que quanto maior a concentração de leptina no organismo, maior vai ser minha sensação de saciedade?”

Não! O corpo cria resistência à ação da leptina quando a mesma se encontra em altas concentrações, como no caso da obesidade. A leptina é produzida no tecido adiposo, logo, com o aumento do mesmo, aumenta-se a produção de leptina, criando a resistência.

Apresentamos hoje 7 pontos de atenção para que você consiga alcançar o emagrecimento sustentável, entendendo o mecanismo do emagrecimento, as mudanças de estilo de vida necessárias e os cuidados necessários quanto ao seu corpo e a sua mente. Guarde esses pontos na memória e siga sendo saudável e cuidando do seu corpo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscrito