Qual o papel do exercício físico na osteoporose?
Qual o papel do exercício físico na osteoporose?

Antes de começar a falar sobre a relação entre exercício físico e osteoporose, precisamos entender o que é osteoporose.

A osteoporose é uma doença metabólica do tecido ósseo, caracterizada por perda gradual da massa óssea, que enfraquece os ossos por deterioração da microarquitetura tecidual óssea, causando um aumento da porosidade óssea e tornando-os mais frágeis e suscetíveis a fraturas. O processo normal da vida óssea é que o processo de formação do osso seja maior que o processo de degradação, e na condição de osteoporose esse quadro se inverte, sendo o processo de degradação superior ao de formação.

Esse quadro é mais prevalente entre mulheres, principalmente acima de 50 anos. De qualquer forma, a osteoporose apresenta alguns fatores de risco, sendo os seguintes:

  • Idade
  • Sexo feminino
  • História prévia ou familiar de fratura
  • Tabagismo atual
  • Alcoolismo (>2 doses/dia)
  • Glicorticóides oral (dose >5mg/dia de > 3 meses)
  • Perda de peso (IMC < 19kg/m²)
  • Inatividade física

A osteoporose ainda pode ser classificada de duas formas:

  1. Osteoporose generalizada

Osteoporose primária ou involutiva: caso em que não se tem como recuperar a perda óssea, vinculado à senilidade e fase pós-menopáusica.

Osteoporose secundária: caso reversível, causado por doenças, uso de fármacos, drogas e situação de imobilidade e sedentarismo. 

  1. Osteoporose regionalizada

Condição relacionada com fraturas e lesões, consequente da imobilização proporcionada pelos problemas ocorridos. Nesse caso, também é reversível, em função da maior parte das lesões serem temporárias e contornáveis.

 

Diagnóstico

O diagnóstico é feito a partir de 4 técnicas:

  • Raio x
  • Densitometria óssea (mais utilizado)
  • Tomografia computadorizada (mais utilizado)
  • Marcadores biológicos do metabolismo ósseo

Esses exames avaliam a Densidade Mineral Óssea do indivíduo, comparando-o com as médias populacionais em que se encaixam, de acordo com parâmetros da OMS. As classificações variam em:

  • Normal: DMO dentro de, no máximo, 1 desvio padrão
  • Osteopenia: DMO entre -1 e -2,5 desvio padrão da normalidade. Essa é a faixa pré osteoporose. Aqui já acontece uma diminuição da absorção de cálcio.
  • Osteoporose: DMO está abaixo de 2,5 desvios padrões da amostra.

Sinais de Osteoporose

O estágio inicial da osteoporose é assintomática, apesar de haver perda óssea. Em contrapartida, nos estágios mais avançados as alterações clínicas é percebido a diminuição da estatura e aumento da cifose dorsal.

Tratamento

  • Medicamentos específicos (suplementação de cálcio e vitamina D);
  • Medidas simples para evitar quedas (disposição de móveis domésticos e adaptações estruturais);
  • Exposição ao sol;
  • Exercícios físicos adequados.

Aqui chegamos ao foco do nosso texto:

A relação do exercício físico na osteoporose

Há muitos anos já foi comprovada a relação entre exercício físico e melhora da integridade óssea. Sabe-se atualmente que o exercício físico torna-se protagonista tanto na prevenção quanto no tratamento da osteoporose.

Quanto à prevenção, na ausência da compressão física sobre o osso (o que o exercício físico promove), ocorre maior excreção de cálcio na urina, ou seja, o cálcio não é absorvido pelos ossos. Também aumenta o fator de degradação óssea, diminuindo a formação óssea. Consequentemente, a densidade mineral óssea fica prejudicada e diminui-se a absorção de cálcio no intestino.

Para comprovar o que antes tinha-se apenas na teoria, foi realizado um estudo que avaliou a densidade mineral óssea entre mulheres de 20 a 35 anos de acordo com sua classificação de exercício físico. Observou-se uma relação direta entre atividade física e densidade mineral óssea, ou seja, o grupo mais ativo tinha a densidade mineral óssea mais elevada.

Outro estudo realizado com idosos saudáveis entre 50 a 72 anos, de ambos os sexos, observou que os idosos atletas tinham a densidade mineral óssea 40% maior que o idosos sedentários da mesma faixa etária.

Em relação ao tratamento, a lógica segue sendo a mesma: a prática de exercícios físicos adequados aumentam a densidade mineral óssea. O mesmo estudo que comprova a afirmação anterior mostra que o aumento dos exercícios físicos também promove diminuição de quedas e fraturas, como consequência da saúde óssea.

Quais exercícios físicos são indicados para pessoas com osteoporose?

  • Exercícios aeróbios

Alguns exercícios dessa classe ajudam a diminuir a perda de massa óssea, estabilizando a doença, o que é uma vantagem.

O estudo que comprova essa recomendação avaliou mulheres que realizaram 24 semanas de exercícios aeróbios, tendo 3 dias na semana como frequência e 30 minutos de exercícios por dia, em velocidade moderada. Notou-se também que a força muscular do quadríceps foi aumentada e houve um aumento de 7% da densidade mineral óssea.

Exemplos de exercícios aeróbios:

  1. Caminhada ou corrida

Esse exercício impede as perdas e ainda aumenta a densidade mineral óssea em locais como o quadril e a lombar.

  • Exercício resistido (de força)

O exercício resistido (como a musculação) também impede a perda de massa óssea, ainda aumentando os níveis de densidade mineral óssea no quadril, lombar e rádio (osso do antebraço). É necessário que o texto de força seja adaptado inicialmente para as limitações que a osteoporose impõe para que seja benéfico e saudável.

Cuidados na realização de exercícios

É importante tomar cuidado pois nem todos os exercícios são eficazes para o tratamento da osteoporose. É necessário que exista algum impacto, compressão nos exercícios, como o caso da caminhada e corrida. Nem todos os exercícios considerados aeróbios são protagonistas do tratamento da osteoporose, tendo como exemplo do grupo ineficaz a natação ou hidroginástica.

Vale lembrar também que a natação ou hidroginástica não causa nenhum malefício na condição da osteoporose, apenas não pode ser a atividade principal para que deseja tratar essa patologia.

 

Você que já acompanha o blog há tempos conhece os inúmeros benefícios da prática de exercício físicos, e agora pode incluir a relação com a osteoporose na sua lista. A realização de exercícios físicos deve ser um hábito, uma atividade participante da sua rotina normal, para que a manutenção da saúde e prevenção de diversos quadros clínicos sejam contínuos e eficazes. Os estudos mencionados ao longo do texto também apontam que a desistência da prática de exercícios físicos ao longo da vida também influencia na prevenção e tratamento de osteoporose, portanto abrace o estilo de vida saudável para todos os seus dias.

Caso tenha dúvida sobre o diagnóstico da doença e necessite de um médico especialista para avaliar o seu caso, recomendamos o acompoanhamento de um reumatologista, esse especialista é o mais recomendado. Veja um pouco da visão desse especialista sobre a Osteoporose.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscrito