Obesidade: um grave problema.
Obesidade: um grave problema.

A obesidade tem sido considerada um dos mais graves problemas de saúde pública em todo o mundo.

Sua prevalência vem crescendo acentuadamente desde as últimas décadas, inclusive nos países em desenvolvimento.

Causas:

Tal crescimento levou a doença à condição de epidemia global como decorrência de hábitos inadequados de alimentação, com o consumo excessivo de alimentos altamente calóricos e fáceis de encontrar, como as diversas franquias de fast-food, além de um estilo de vida sedentário, com pouca adesão à prática de exercícios físicos regulares.

Juntamente com a obesidade, há as comorbidades causadas por um estilo de vida pouco ativo e com hábitos equivocados de alimentação, podendo acarretar em doenças crônicas como Diabetes tipo II, Hipertensão, Hipercolesterolêmia (Colesterol alto) e, consequentemente, altos índices de LDL (Colesterol maléfico à saúde).

Definição:

O IMC, Índice de Massa Corporal, pode ser um prognóstico, para detectarmos a presença de obesidade e sobrepeso em homens e mulheres. Conseguimos chegar aos valores abaixo, por meio da razão (divisão) de sua Massa Corporal / Altura²:

Classificação IMC
Variação desejável para homens e mulheres 20-24,9
Obesidade Grau I 25-29,9
Obesidade Grau II 30- 40,0
Obesidade Grau III ( Mórbida) >40,0

Fonte: ACSM(2000)
O exercício físico é uma ferramenta fundamental para os aspectos fisiológicos do corpo humano, em especial os aeróbios, já que há um grande ajuste metabólico para aumentar o suprimento de oxigênio e substratos energéticos na realização do trabalho muscular, causando, dessa forma, aumentos significativos de consumo de energia acima dos valores de repouso.

Orientações:

O American College of Sports Medicine (ACSM) recomenda que toda população se engaje em uma rotina regular de exercícios que englobe de 20 a 60 minutos de exercícios aeróbios, realizados de 3 a 5 dias por semana, juntamente com um programa de treinamento resistido e treinamento de flexibilidade com frequência de 2 a 3 vezes por semana.

Existem prováveis mecanismos por meio dos quais o exercício pode auxiliar na perda e na manutenção do peso. Um deles seria o aumento do gasto diário de energia. Em indivíduos com altas quantidades de gordura corporal, o tecido adiposo possui menor atividade metabólica doque o tecido magro, havendo maior dificuldade, em repouso, de perder calorias. O exercício físico crônico também promove a redução do apetite, o aumento da taxa metabólica basal (repouso), o aumento da massa muscular, o aumento do efeito térmico de uma refeição, a elevação do consumo de oxigênio, a otimização dos índices de mobilização e utilização de gordura, bem como uma sensação de autossuficiência e bem-estar.

Segundo RIPPE JM (1998), para que a atividade física possa manter essa perda de peso, é necessário que ocorra um gasto de 1.500 a 2.000 Kcal/ por semana, com isso, o acompanhamento nutricional torna-se parte fundamental nesse processo de emagrecimento, já que, juntamente com a atividade física, otimizará a magnitude da perda de peso com saúde na população que apresenta um quadro de sobrepeso e obesidade, relevando ainda mais a importância de um trabalho multidisciplinar.

Benefícios:

Com o processo de emagrecimento, há também a diminuição das dobras cutâneas e as medidas (circunferências) de quadril, abdômen e cintura, que são índices para predileções a doenças crônicas, como hipertensão e diabetes tipo II. Com isso, além da perda de peso, também reduz as chances de surgimento de doenças crônicas, atualmente prevalentes em todo o mundo.

Recomendações:

Muitos estudos têm sugerido um trabalho conjunto de exercícios aeróbios e resistidos como sendo ideal para o processo de emagrecimento (Wood P.D, 1996; Mclnss K.J, 2000 e Kraemer et al, 1997). Além de melhorar significativamente o consumo máximo de oxigênio, força máxima, gasto calórico, resistência muscular localizada e manutenção da massa magra.

O treinamento concorrente, ou seja, o aeróbio com resistido, de acordo com alguns estudos do American College Of Sports Medicine, 2000, preconiza que seja da seguinte forma:

Frequência de treinamento: 3 a 5 vezes por semana:

– A intensidade do treinamento aeróbio é de 60% a 90% da Frequência cardíaca máxima ou 50% a 85% do VO2 máxima. Com a utilização de treinamentos intervalados e progressivos.

– A duração é de 20 a 60 minutos de atividade contínua dependendo da intensidade.

– Treinamento Resistido, musculação: Qualquer atividade que utilize grandes grupos musculares e que seja mantida constante e rítmica, com a utilização de métodos em circuitos, com alto número de repetições entre as séries.

O trabalho de uma equipe multidisciplinar parece ser uma ótima estratégia para a perda de peso, já que o acompanhamento nutricional deve ser mantido, para a sua reeducação alimentar, aliada ao exercício físico bem prescrito e planejado.

A Medina Fitness Plus conta com profissionais na área de Nutrição, Fisioterapia e Educação Física, capacitados para atender às suas especificidades e atendê-lo da maneira mais correta, comprometida e com resultados garantidos.

Portanto, vamos começar um novo estilo de vida! Com realizações e saúde! O verão está chegando, vamos nos exercitar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscrito